quinta-feira, 1 de novembro de 2012

OH REFORMA PROTESTANTE! OH REFORMA TÃO DISTANTE

Há exatos 495 anos, em Wittemberg, no dia 31 de Outubro de 1517, Martinho Lutero, fixava suas 95 teses à porta da Catedral. Suas teses eram contrárias dentre outras coisas, à venda de indulgências e a vida extravagante de muitos religiosos, em detrimento da pobreza e exploração da fé do povo.  Esse dia ficou marcado como início do mais importante movimento religioso da metade do segundo milênio depois de Cristo, a Reforma Protestante. De lá pra cá, o Cristianismom então romanizado nunca mais foi o mesmo. Surgiram então os protestantes. É bem verdade que esse movimento, resultou em vários outros movimentos e grupos, não menos importantes, os Presbiterianos, Metodistas, Batistas, Wesleyanos, Pentecostais, enfim, grupos dos mais diversos. Ainda hoje novos movimentos surgem, tais como neo-pentecostais, e ainda a pouca conhecida, Igreja emergente. A verdade é que o movimento parece ter se pulverizado em intermináveis outros. Mas o que é de se admirar, é o fato de que, o principal carro chefe do protestantismo, que era a “a salvação” e bênçãos dela decorrentes eram pela “pela graça”, “gratuita” e mediante a fé, parece ter caído no esquecimento. Pois o atrativo tilintar das moedas de ouro no baú dos inquisidores, parece exercer os mesmo fascínio sobre os novos e modernos inquisidores travestidos de televangelistas, pregadores de “fé operante” com promessas de bênçãos e graça sem medidas a troco de ofertas, votos de fé, sacrifícios, compromissos e alianças, que fariam Tetzel morrer de inveja. Até mesmo igrejas que se consideravam mais tradicionais acabam por terceirizar os seus púlpitos para esses pregadores da “graça pré-paga”.

Esse cenário, nos faz perceber o quanto nos distanciamos da reforma de Lutero. OH REFORMA PROTESTANTE, REFORMA TÃO DISTANTE!!!